ALBERTO ARAÚJO - MEU RECANTO
Contos, versos e sentimentos à flor da pele.
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


ESTÁTUA DE SAL - (coração insano)






Hão de voar para longe
O meu coração e o meu sangue
Mas, para aonde?
O meu coração não contém asas
E o meu sangue, aviões.

Hão de fugir a galope
O meu pensamento e a minha insensatez
Mas, para aonde?
O meu pensamento não tem destino
E a minha insensatez, cavalos.

Hão de navegar pelos mares
A minha luz e a minha rede
Mas, para aonde?
A minha luz não tem velas
E a minha rede, peixes.

Hão de entalhar as montanhas e jardins
A minha alma e a minha máscara
Mas, onde?
A minha alma é de cegos gomos
E a minha máscara uma estátua de sal.

ALBERTO ARAÚJO
Enviado por ALBERTO ARAÚJO em 15/12/2008
Copyright © 2008. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários