ALBERTO ARAÚJO - MEU RECANTO
Contos, versos e sentimentos à flor da pele.
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


DESEJO INDESCRITÍVEL






Desejo/
ânsia;outono polido

abras-me teus braços
fazes em a desordem
jubilas-me na tua
imensurável memória,
deixas-me desmedido.

Creio que minha torre
faz-se morrer na tua
carne libidinosa
colas tua boca à minha
árdua boca porosa,
como se fosse o dia
deleitoso que a ave goza.

Que teu canto entrelace
no meu corpo estrelas
do amor indescritível
e minha costas largas
há de serem asas, grito, caos
nesta noite indefinível.

faminto, hei de sorver-te
na estremada luz do amanhecer

pensas que meu amor é só isso,
é muito mais...
é carne, verbo imperfeito, anoitecer.



ALBERTO ARAÚJO
Enviado por ALBERTO ARAÚJO em 28/01/2009
Alterado em 28/01/2009
Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários