ALBERTO ARAÚJO - MEU RECANTO
Contos, versos e sentimentos à flor da pele.
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


A MORTE DO VERÃO








De quê morreu
O verão?
- viu-se entre nuvens e risos
Juntos a jornais velhos

E que vendeu sua vida
Vendeu-se barato – tanto
Que o incêndio tomou conta
Dos esquecidos

E apenas;
A construção do esqueleto
Que agora é de cimento


De quê morreu
O verão?
(não se viu mais)

Meu pai (que já não existe)
Dizia-me:
O verão é feito
De sol batido
E mora no Piauí

Olha lá – lá vai o verão
De mala e cuia
Cantarolando pela serra
Vai pelo mar
E corre entres estrelas
E voa pelo os ares

Mas o verão morreu?
- meu pai dizia:
O verão nunca morre
Apenas muda de lugar.
ALBERTO ARAÚJO
Enviado por ALBERTO ARAÚJO em 26/12/2009
Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários