ALBERTO ARAÚJO - MEU RECANTO
Contos, versos e sentimentos à flor da pele.
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


NOVA PAISAGEM






cidade,
minha particularidade faminta,
é a que me consome, é a que me
faz crescer na grandeza do bem.

(novo, de novo (re) faço-me)
sou comum, sou
um forasteiro, mas o que
há dentro de mim
é todo um dilúvio
de sabedoria.

Tudo bem.
(re) vendo-me).

o que sou?
o que serei? – não sei!
talvez um acendedor de velas,
um poeta (in)compreendido
pouco me importarei.
cá comigo; o que sei – que tudo que
aprenderei – eu saberei amaldiçoar
a escuridão, isso eu sei.


ALBERTO ARAÚJO
Enviado por ALBERTO ARAÚJO em 16/10/2010
Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários