ALBERTO ARAÚJO - MEU RECANTO
Contos, versos e sentimentos à flor da pele.
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


PALAVRAS (IN) DECIFRAVEIS





As vezes
as palavras me vêem
de arrojos – no entanto (written in code).

Mas planejo
um posto que me salve
e na abertura
o meu pensamento.

Entrego o meu corpo
aos que gostam da
poesia:
a língua, o dorso
a cor
o sabor
o ardor

“duas coisas que admiro muito:
a poesia que eu respiro – e a poesia
que se inspira dentro de mim”

Mas no abalroamento
vejo que a cidade se acende
e sua luz é exageradamente lúcida.

Sigo
com o nome de meu ancestral
no dorso os mares distantes
e no pensamento uma rebelião
sísmica de palavras.

ALBERTO ARAÚJO
Enviado por ALBERTO ARAÚJO em 24/11/2010
Copyright © 2010. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários