ALBERTO ARAÚJO - MEU RECANTO
Contos, versos e sentimentos à flor da pele.
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


ÚMIDAS VERDADES (MINI-CONTO)





Têm dias que me sento à mesa de um bar, e desejo ser o sol que te irradia, o laço que envolve a caixa do teu presente, a água que sacia a tua sede. Tomo um gole de cerveja;
– pensamentos indirigíveis - águas chovidas – galeria nua e sólida -introspecção/monotonia - verões incuráveis desenham a minha rede. Algo a olhar horizonte – vento a bater no meu prédio, vento que vai do chão da sala até a parede. Tento deixar para traz pensamentos mosaicos. Mas as lágrimas entre vagões valem fotografia em plena luz do dia. É tudo que sei -
Good-bye
ALBERTO ARAÚJO
Enviado por ALBERTO ARAÚJO em 18/02/2011
Copyright © 2011. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários