ALBERTO ARAÚJO - MEU RECANTO
Contos, versos e sentimentos à flor da pele.
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


SONETO DOS QUARENTANOS




CHEGUEI AOS QUARENTA ANOS, MAS
MEU PEITO A IDADE PÚBERE LAMENTA,
AS COISAS DEIXADAS PARA TRAZ
E A NOSSA IDADE SÓ AUMENTA.

NA IDADE DA LOBA AGORA ESTOU
O MEU PRESENTE LEMBRA COISAS DE OUTRORA,
A VIDA PASSA TÃO DEPRESSA
A CADA DIA UMA NOVA AURORA.

NESSES ANOS TODOS QUE EU VIVI
ATEI E DESATEI TODOS OS NÓS,
DE VITÓRIAS,DERROTAS QUE ABRAÇAM NÓS

TENTEI CONSTRUIR MEUS SONHOS
E AGORA ESTOU EM PAZ,
DA MINHA VIDA NÃO ABRO MÃO JAMAIS
ALBERTO ARAÚJO
Enviado por ALBERTO ARAÚJO em 08/03/2007
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários