ALBERTO ARAÚJO - MEU RECANTO
Contos, versos e sentimentos à flor da pele.
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


ESCOTILHA





Meus olhos esburgalhados,
perdidos no cais da tua insensatez,
Amarguras tantas, lapidadas no peito da ilusão,
a febre é tanta deve ser encantada, o fosso da 
garganta engole teus pensamentos,
Um mundo louco me procura entre escombros
e quinquilharias,
Me devora, me deixa impotente, perco a razão
e não vejo uma forma de ser resgatada,
No fundo do poço, monstros fazem a festa, e 
dançam sobre o teu cadáver, o veneno que te 
alimenta, te ressussitas, e todos ficam no fundo,
o passado, e lembranças perdidas, somente tu
emerges.
ALBERTO ARAÚJO
Enviado por ALBERTO ARAÚJO em 28/03/2007
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários