ALBERTO ARAÚJO - MEU RECANTO
Contos, versos e sentimentos à flor da pele.
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


A FELICIDADE DE LINA
 





 
Imagens geométricas e faróis urbanos se entrecruzam nos ridentes passos – passos incontidos no meio da areia, no útero do cotidiano. Paralelepípedos tropicais brotam: trilhas cristalinas – canções latejantes – gestos rearquiteturados. A terra úmida da resignação; é algo plantado nas margens do afetuoso coração de Lina.

O véu da noite desvela a transparente lua. E Lina - se junta à coreografia do pássaro. A solidez da suposição e a cor da sua fragilidade são pontos flagrados. Impulsionada pela delicadeza, ela vasculha gráficos e certezas de sua identidade. Longas avenidas, momentos de sucessivas indagações... As portas de sua memória se abrem em extremos num tempo florífero. Ela se veste da mais profunda humildade e navega em um mundo visceral da alegria – sinal potente, que aos poucos floresce.

Descobre no traço do trajeto, o ardor intenso, cifras ecoantes - horizonte luminoso e caudaloso. Em silêncio, visita as paisagens deflagradas. Algo palpável acende réstias perfumadas, as quais banham suas pálpebras, de férteis contentamentos.

Seus olhos latejam na pele constelada e vicejante do novo dia... Desenhado dia, ora ávido e enfático - A brisa da felicidade no subsolo da alma, articula suas madeiras sandalosas e insistentes músicas líricas, que fluidicamente e em desvarios - flecham o coração de Lina...

Na janela escancarada, da janela para dentro, rebuscada acolhida – incêndio. Ela recolhe todas as folhas do outono e segue o fluxo da cidade.



 




 
Edição de imagens:
Shirley Araújo

Texto: A felicidade de Lina

 


 
ALBERTO ARAÚJO
Enviado por ALBERTO ARAÚJO em 10/12/2013
Alterado em 11/12/2013
Copyright © 2013. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários