ALBERTO ARAÚJO - MEU RECANTO
Contos, versos e sentimentos à flor da pele.
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


DESEJO AGRESTE

DESEJO AGRESTE

Fim de noite de outono,
O vento está em absoluto repouso,
O leito nupcial tem suavemente
o aroma de jasmim,
A calmaria noturna é desolada,
E nas desoras
Eu arranho o silêncio com a minha inquietação.
Caminho lado a lado no quarto,
Um desejo agreste me sobe às veias,
tem um cheiro de mato.
Vem desbrava-me, cavalga em mim,
Esse é meu desejo.
A chuva cai inexoravelmente,
Confundo os pingos da chuva com minhas lágrimas.
Gorgolejam as águas nos rios,
No entanto o Sol no céu,
No instante ora cintila,
Expandindo sua luz pelas árvores,
Rios e cachoeiras,
Meu corpo ali em repouso...
A natureza sorrir,
Fico no meu desejo rudimentar
Não realizado.

ALBERT ARAUJO
ALBERTO ARAÚJO
Enviado por ALBERTO ARAÚJO em 24/04/2007
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários