ALBERTO ARAÚJO - MEU RECANTO
Contos, versos e sentimentos à flor da pele.
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


A LÍNGUA SÁBIA DO POETA
 
 
 
A língua sábia do poeta,
no ambiente da expressividade,
é uma lira palavreada.
O cenário da Língua Portuguesa
é labiríntico e enrodilhado
de auroras e crepúsculos.
 
A ação fictícia do poeta, em seus poemas,
no contorcer da tarefa,
são paisagens romanescas.
Todas as metáforas são abismáticas
e contemplam a natureza do homem.
 
Sim, os vocábulos corpulentos dos poetas,
em seus poemas escritos,
às vezes sofrem verborragias abrasivas...
 
Mas no íntimo, na conclusão enfática,
são todos poemas decifráveis.
Apresentam conteúdos que somente os Deuses
de corações bons, assimilam.
 
A tinta do incenso
e os multifocos panorâmicos
da Língua Portuguesa,
são réstias avermelhadas,
tais quais as labaredas
dos corações dos poetas apaixonados...





 Edição de imagens:
Shirley Araújo

Texto: A língua sábia do poeta

ALBERTO ARAÚJO
Enviado por ALBERTO ARAÚJO em 22/01/2014
Alterado em 11/09/2017
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários