ALBERTO ARAÚJO - MEU RECANTO
Contos, versos e sentimentos à flor da pele.
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


UM FAVO LÚCIDO



Um favo lúcido:
O momento tem pressa
e a represa tudo tem em múltiplo,
para tornar límpido o que
é compreensão e a alimentação do ego.

Um guarda-chuva, um relâmpago,
um pássaro no fio de alta-tensão.

Tudo o que nossos olhos,
podem veem.
sem complicação,
exótico ou fastidioso.

Mesmo na sólida beleza
ao repentino desvelo.
O que a visão alcançar
num recipiente espiralado.

A marca digital é a pétala
que emite sinais
nas entrelinhas do tempo.

Sobre o criado-mudo,
a angelical flor - dama da noite.
Beleza que num gesto de bailarina,
pode anexar-se ao peito,
e na destreza cadente
excitar o fio do prumo
do percurso exato.

Ou, ainda, com asas de navio,
de quando em vez,
ativar a tábua do
certeiro olhar do avião.

Profetizo:
Um favo lúcido, um rio caudaloso,
conduzindo a memória dos ancestrais.
Antes, porém, beijando a boca do arco-íris.

...




Edição de imagens:
Shirley Araújo

Texto: Um favo lúcido


 
ALBERTO ARAÚJO
Enviado por ALBERTO ARAÚJO em 12/03/2014
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários