ALBERTO ARAÚJO - MEU RECANTO
Contos, versos e sentimentos à flor da pele.
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


HORA E VEZ DA POESIA




Na rede ou no místico porto.
embalando o mar,
enfrentando procelas.

Bater à porta,
não ter medo de distâncias,
em qualquer ilha:
abrir dosséis,
as pétalas ou que for.

Levar a poesia
Porosa ou azul,
na mitra do tempo,
um ímpeto,
alocução poética.


P-O-E-S-I-A
experimentar seus diversos
colares - maresias.
No íntimo da glória,
registrar sua elocução,
cantar em seus galhos,
da mais solene a mais banal
– cantiga.

Mostrar que a poesia
ainda é uma das afeições prováveis
e o seu contentamento é
um vasto oceano inspirador,
tudo que faz bem ao homem
moderno & contemporâneo.

Precisar dizer que a poesia
está, estará sempre viva...
façamos dela o nosso ideal.




Edição de imagens:
Shirley Araújo

Texto: Hora e vez da poesia


 
ALBERTO ARAÚJO
Enviado por ALBERTO ARAÚJO em 18/03/2014
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários