ALBERTO ARAÚJO - MEU RECANTO
Contos, versos e sentimentos à flor da pele.
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


OS PULSOS DE EVA





Inesperadamente no broto do fogo azul,
o aventurar o mastigar o acender do desejo.
A face de Eva - selvagem e ávida.

Debruçado sobre o poema,
o beijo acende a chama do sentimentalismo.
O enigma é pulso pulsante...
E aventura-se buscar o segredo
da metamorfose da alma.
- Para o conforto da claridade do amor.

Pantera no cio.
Espuma de eternidade.
Veias do mito,
a faca amolada.
A tocha da efígie acalora - Devaneio.

De repente o segredo...
a metáfora golpeia os profícuos dentes do poema.
E têm as palavras sagradas,
palavras cujas folhas são enfeitiçadas
pelos lábios da Deusa.

De repente torna-se a acender o fogo
azulado do coração de Eva.
Subitamente o perfume é exalado.
Repentinamente o coração
é uma serpente que enfeitiça
os pulsos da lua.


Súbito corpo de super-homem...
Imagem na janela do lirismo.




Texto: Os pulsos de Eva

ALBERTO ARAÚJO
Enviado por ALBERTO ARAÚJO em 16/07/2014
Alterado em 16/07/2014
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários