ALBERTO ARAÚJO - MEU RECANTO
Contos, versos e sentimentos à flor da pele.
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


O TEU CHEIRO


Se porventura
O deserto que mora em mim
Pedir-te abrigo,
Não mo negues.
Faça desse abrigo o meu amanhecer.
Desenhe-me ao sol, à lua...
Borde-me em monograma de luz primaveril
E espalhe todo meu horizonte
E todo meu perfume
Nas flores que estão a decorar-te.
E, ao pôr do sol,
Que as flores que te condecoram,
Exalem o teu cheiro,
E que o leve a galope,
Aos quatro cantos do universo.
Assim, quando o teu amor florescer
No meu peito,
Terá valido a pena,


16/05/2007.
ALBERTO ARAÚJO
Enviado por ALBERTO ARAÚJO em 16/05/2007
Alterado em 23/05/2007
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários