ALBERTO ARAÚJO - MEU RECANTO
Contos, versos e sentimentos à flor da pele.
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


NO PRÓPRIO SUMO





Na encruzilhada do tempo
do próprio sumo de toda lida

Na árvore que é renitente em dá frutos
do vinho no cálice antes de te amar
do ventre pungido de luz

O tempo saciado com a poesia
o canavial grão e pão
nos galhos azuis na primavera

Antes do percurso da sede
do teu corpo ao me despir
das páginas do crisântemos
afinando a eclosão do amor
algo maduro em mim já te amava

Na época da romaria dos pássaros
no leito das folhas refeitas
sorvi as raízes
do indecifrável e reguei
com meu moinho encharcado de viço
a tua pele macia viva.

No momento do corte de lâminas
um mormaço de pássaros puxavam uma luz em brasa






Edição de imagens:
Shirley Araújo

Texto: Do próprio sumo

ALBERTO ARAÚJO
Enviado por ALBERTO ARAÚJO em 26/07/2014
Alterado em 26/07/2014
Copyright © 2014. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários