ALBERTO ARAÚJO - MEU RECANTO
Contos, versos e sentimentos à flor da pele.
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


A ESPERA DE UM GRANDE AMOR...





Já não sei quem sou!...

Se quem eu era se quebrou

desventrou-me e sumiu...

Por quê?...

Se tantas noites eu te soletrei...

Se tantas manhãs eu te supliquei...



E agora?... Sinto a beleza das flores

serem cortadas pela a tua lâmina

o brilho do sol partido pela tua espada...

O meu amanhecer tornou-se demasiadamente negro



mas, ainda resta o meu sorriso de lua

que às vezes tem um espetáculo escarlate

em outras uma cachoeira de pérolas...

Então me apego a estes bens preciosos

e me rolo sobre o teu cadáver clamando a esperança

e aos teus fios de cabelos me desespero



Vejo que tudo é pouco

e no pouco sou nada

sinto-me uma ponte bombardeada

uma ruga surgida no tempo



Sou uma consoante sem vogal

um peixe perdido na embocadura do rio

sem sal, sem açúcar

um gemido

uma torneira sem água



Sou a memória esquecida

enquanto um pedaço de mim

ainda te ESPERA...



ALBERTO ARAÚJO
Enviado por ALBERTO ARAÚJO em 28/12/2007
Alterado em 03/01/2008
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários