ALBERTO ARAÚJO - MEU RECANTO
Contos, versos e sentimentos à flor da pele.
CapaCapa Meu DiárioMeu Diário TextosTextos ÁudiosÁudios E-booksE-books FotosFotos PerfilPerfil Livros à VendaLivros à Venda PrêmiosPrêmios Livro de VisitasLivro de Visitas ContatoContato LinksLinks
Textos


A CASA DO MORRO





É naquele alto das matas
Onde se pode ver
As águas lavarem as pedras...
O balançar das palhas dos coqueiros
Nas noites, a lua emergir entre estrelas
E pirilampos...
Ao lado a floresta beijar suas flores
E ramagens...
Filtrar sua alma
E pousar o coração nas madrugadas.

Terra fértil e de corpo juncoso
Dos lírios e das acácias
Do jucá e do juazeiro
Das samambaias e do mandacaru
Das pitombeiras e aroeiras
Das guabirabas e pardais
O barro nobre povoa-se entre as árvores
E o batente das janelas
Revestem-se de musgos e jasmins.

O meu sangue habita...
Nas raízes e nos caminhos deste chão
Onde velam a minha saudade

O meu amor como um sopro ardente
Arrebenta na semente dos milharais
Na nudez dos mananciais
E no aroma de todas as flores.

Sob o arrebol
Ouvir o canto dos pássaros
E extrair o cheiro do chão
Da casa daquele morro.
ALBERTO ARAÚJO
Enviado por ALBERTO ARAÚJO em 03/05/2008
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original. Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários